Publicações

    Projeções de subida acentuada nas intenções de contratação para o segundo trimestre do ano

    24.03.2018

    As empresas portuguesas revelam intenções de contratação otimistas para o segundo trimestre de 2018. Com 16% a prever um aumento, 2% a antecipar uma redução e 77% a considerar que não haverá alterações nos níveis de contratação. A projeção para a criação líquida de emprego situa-se nos 14%.

    No segundo trimestre de 2018 perspetiva-se que a contratação aumente nos nove setores de atividade em estudo. O setor com maior projeção para a criação líquida de emprego é o setor de Restauração e Hotelaria, com uma previsão de 29%. O setor de Transportes, Logística e Comunicações prevê um bom ritmo de contratação, com uma projeção de 22% e os setores de Agricultura, Florestas e Pescas e de Finanças, Seguros, Imobiliário e Serviços preveem resultados bastante otimistas, com projeções de 19% e 18% respetivamente. Os setores Público e de Indústria fazem também previsões interessantes que apontam a 14% e 12% respetivamente. Por oposição, o setor com a projeção mais cautelosa é o de Comércio Grossista e Retalhista com uma previsão de 5%.

    Em cinco dos nove setores são apontadas melhorias nos níveis de contratação face ao trimestre anterior, com uma melhoria relevante, de 20 pontos percentuais, no setor de Restauração e Hotelaria e no setor de Finanças, Seguros, Imobiliário e Serviços é projetada uma melhoria de quatro pontos percentuais. Preveem-se decréscimos consideráveis em quatro setores, com maior visibilidade nos setores de Transportes, Logística e Comunicações e de Comércio Grossista e Retalhista, com diminuições de 8% e 5% respetivamente.

    Para Carla Marques, Country Manager da ManpowerGroup Portugal “os resultados do ManpowerGroup Employment Outlook Survey para o segundo trimestre de 2018 indicam que o ritmo de contratação em Portugal se manterá positivo nos próximos três meses, dando continuidade aos indicadores verificados neste início de ano. Atravessamos uma revolução de competências, em que para as empresas terem sucesso no futuro é necessário garantir o equilíbrio entre os desenvolvimentos tecnológicos e as competências de natureza humana. A tecnologia está a transformar as organizações, as competências mais procuradas mudam rapidamente e testemunhamos uma crescente dificuldade das empresas para encontrar o Talento que precisam."






























    "Deste modo, os indicadores de contratação para o segundo trimestre do ano significam boas perspetivas para os candidatos ativos na procura de emprego, em especial no setor da Restauração e Hotelaria, onde 3 em cada 10 dos empregadores inquiridos revela intenções de contratar. Também no setor dos Transportes, Logística e Comunicações perto de 1 em cada 4 dos empregadores participantes confirmam a tendência positiva de contratação. Ainda assim, considerando a dificuldade na atração de Talento, devemos identificar conjuntos de competências, que nos permitam criar percursos profissionais claros desde a educação ao emprego, bem como a diversidade de experiências. Precisamos de acelerar os programas de reskilling com intervenções, mais rápidas e curtas, de formação on-the-job. É necessário que ajudemos as pessoas a pensar de forma diferente. Num mundo cada vez mais digitalizado, o sucesso nem sempre exigirá um diploma universitário, mas dependerá fortemente da vontade pela aprendizagem e pelo desenvolvimento contínuo de competências, pelo que devemos nutrir essa curiosidade e capacidade de aprendizagem nas pessoas. Com a combinação certa de competências, as pessoas vão potenciar e impulsionar a tecnologia e não competir com ela. Como líderes, compete-nos ajudar o Talento a progredir e a preparar-se para os desafios do futuro” reforça a líder da ManpowerGroup em Portugal.

    As empresas nas três regiões (Norte, Centro e Sul) antecipam um aumento da contratação durante os próximos três meses. As melhores perspetivas são as dos empregadores a Sul, que projetam uma criação líquida de emprego de 18%. Tanto no Centro como no Norte são antecipados aumentos otimistas, de 13%.

    As intenções de contratação das regiões Centro e Sul não registam alterações face aos resultados do primeiro trimestre do ano. Enquanto os resultados a Norte perspetivam alterações muito ligeiras.

    Perspetiva-se que o volume de contratação aumente nas quatro dimensões referidas durante o segundo trimestre de 2018. A projeção para a criação líquida de emprego aponta para um crescimento muito favorável, de 34%, nas Grandes empresas. As Médias e Pequenas empresas indicam uma projeção de contratação de 16% e 13% respetivamente, enquanto a projeção de criação de emprego para as Microempresas é de 4%.

    O ManpowerGroup Employment Outlook Survey para o segundo trimestre de 2018 foi realizado com base num inquérito a uma amostra representativa de 626 empresas em Portugal. A todas estas empresas foi colocada a mesma pergunta: “Quais as alterações que prevê para o emprego na sua região, nos três meses que terminam em junho de 2018, em comparação com o trimestre atual?”

     

    43 países antecipam intenções de contratação positivas


    As conclusões apontam para tendências de contratação positivas em 43 dos 44 países participantes, durante o segundo trimestre de 2018, incluindo a Croácia que participa pela primeira vez no inquérito. Comparativamente ao trimestre anterior, as intenções de contratação melhoram em 17 países, decrescem noutros 17 e mantêm-se inalteradas em nove. Quando comparadas com o período homólogo do ano anterior, as intenções de contratação melhoram globalmente em 25 dos 43 países, mantêm-se inalteradas em cinco e decrescem apenas em 13.

    Entre os países com dados ajustados sazonalmente, a confiança revela-se mais forte em Taiwan, Japão, Hungria e Estados Unidos da América, por oposição as projeções menos confiantes são reportadas por Itália, República Checa e Suíça.

    Constatam-se evoluções significativas nas previsões para o segundo trimestre do ano. A confiança do tecido empresarial no Brasil melhora pelo quinto trimestre consecutivo e as previsões cautelosamente otimistas para o próximo trimestre indicam uma recuperação anunciada face aos resultados negativos obtidos pelo inquérito na maioria dos períodos de 2015 e 2016. Na Finlândia, as empresas projetam os resultados mais otimistas desde o lançamento do inquérito em 2012 e na Alemanha, são reportadas as intenções de contratação mais fortes dos últimos seis anos, com destaque para o setor de Indústria com as projeções mais fortes desde o quarto trimestre de 2008.

    Na região EMEA (Europa, Médio Oriente e África), a projeção para a criação líquida de emprego prevê crescimento em 25 dos 26 países inquiridos. A previsão de contratação aumenta, comparativamente com o trimestre anterior, em 13 países, decresce em oito e mantém-se inalterada em quatro. Relativamente ao trimestre homólogo do ano anterior, as previsões melhoram em 16 dos 25 países, decrescem em seis e mantêm-se inalteradas em três. Tendo em consideração os ajustes sazonais, as previsões mais favoráveis, nesta região, pertencem à Hungria e as menos otimistas a Itália, onde os empregadores preveem as intenções de contratação mais baixas e, aliás, as únicas previsões negativas para o trimestre de todos os países participantes.

    Os dados de cada um dos 44 países incluídos no inquérito relativo ao segundo trimestre de 2018, bem como as comparações regionais e globais, podem ser consultados na íntegra em: www.manpowergroup.com/meos
    Titulo Tipo
    MEOS Portugal 2T 2018
    Partilhe este artigo:
    Voltar

    Subscreva a newsletter

    © 2016. Manpowergroup Portugal SGPS, S.A. Todos os direitos reservados.
    Politica de Privacidade e Condições de Utilização
    Política de Cookies e Proteção de Dados Pessoais
    © 2016. Manpowergroup Portugal SGPS, S.A. Todos os direitos reservados.
    Política de Privacidade e Condições de Utilização
    Política de Cookies e Proteção de Dados Pessoais